terça-feira, 18 de junho de 2013


A Revolução se organiza na rede.
Por. Jhonathan Lima - "O Brasil acordou, agora vejamos quem não conseguirá dormir."
N. Sra. da Glória, SE - 19/06/2013

A rede mundial de computadores, tem se transformado em uma ferramenta importante para a consolidação de alguns dos grandes eventos sócio-políticos no mundo pós-moderno.
 A queda das ditaduras faraônicas na “Primavera Árabe”, as grandes manifestações ao redor do mundo, em função de diferentes causas. A comunicação é uma necessidade inerente ao ser humano. É a forma de expressar desejos e sentimentos. Quando criada a rede mundial de computadores – internet – teve como seu principal objetivo o encurtamento de distâncias e a dinamização na troca de informações.

Com o passar do tempo, a internet tomou proporções inimagináveis. Criou uma realidade paralela ao mundo real, onde as pessoas puderam compartilhar de maneira mais eficaz suas opiniões e visões de mundo, acerca de um tudo. Manifestações políticas são comuns na grande rede, o debate sobre temas importantes vem tomando um espaço cada vez maior nas redes sociais. Deu na “TV” é fácil você abrir o Facebook, Twitter e You Tube e ver alguém já manifestando sua opinião, favorável ou contraria. 
(leia mais)

Perfeito, precisamos de cada vez mais pessoas assim. Desde a “Primavera Árabe” em especial aos acontecimentos na praça Tahrir, no Egito, que levaram à queda do poder, do ditador Hosni Mubarak, onde a juventude egípcia, mobilizou-se via redes sociais e ocupou as ruas, pressionando o ditador a renunciar. A juventude em torno do mundo percebeu o poder que as redes sociais têm, para não somente expor suas opiniões, mas para pô-las em prática. As reuniões de grandes manifestações tem sido muito comumente convocadas via Facebook e tem dado resultado surpreendentes.
As manifestações que eclodiram no Brasil nesta última semana, inicialmente para reivindicar o não aumento da já abusiva tarifa de transporte coletivo em São Paulo e agora tem pedido melhorias em educação, segurança, saúde, empregos, reforma política, democratização da mídia etc. tem deixado claro que o povo brasileiro, sobretudo os jovens, está usando essa importante ferramenta na luta por garantia e acesso a direitos, e não somente, como um mero passatempo.

A faísca foi acesa e tomou proporções inimagináveis, o calor das manifestações se espalhou aos quatro cantos do país e em vários outros países mundo afora, com uma clara ajuda da internet, onde os manifestantes puderam “contar suas versões” dos fatos, contrapondo a versão expostas nos principais veículos de comunicação, que tem por diversas vezes, distorcido os acontecimentos, sempre indo na direção de criminalizar os manifestantes, essa postura da grande mídia, aliada a universalização da informação e das opiniões que a internet é capaz de fazer, levou 240 mil brasileiros as ruas, no dia (17/06/2013) em várias cidades do país a apoiar os movimentos reivindicatórios. 

A internet vem trazendo um apelo muito grande pela reforma política e pela democratização da mídia. Essas duas agendas tem sido constantes nas redes sociais e acredito que elas serão um divisor de águas para que a cada dia possamos consolidar ainda mais a democracia no Brasil.
Que mais movimentos reivindicatórios possam surgir e que a internet possa nos trazer as informações da maneira mais transparente possível. O Brasil acordou, agora vejamos quem não conseguirá dormir.

4 comentários:

  1. Olha como o blog dele ta organizado. É isso aí companheiro. Vamos explorar de todas essas ferramentas que a internet nos disponibiliza. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, excelente texto !
    O bom de tudo, é que saímos da internet e fomos as ruas, mostrar que acordamos e que queremos melhorias, chega de pão e circo !

    ResponderExcluir